ter?a-feira, 21 de novembro de 2017
Colunistas / Tempo de Vinho
Maurício Ferreira

SALVADOR confirma vocação p/ meca do vinho português

Maurício Ferreira é bacharel em direito, professor universitário, sommelier profissional filiado a ABS-SP e colaborador do Bahia Já, onde assina a coluna Tempo de Vinho
02/11/2017 às 11:56
 Depois de importantes nomes do mundo do vinho, como Antonio Saramago, Paulo Laureano e Nuno Rodrigues, a Cidade do Salvador recebeu no dia 25 de outubro, o produtor Luís Vieira, da Parras Wines, confirmando sua vocação para Meca dos grandes produtores de vinhos portugueses.

Trazido pelas mãos do sommelier internacional Pedro Luz, sócio da Dieb Import, distribuidora dos vinhos da Parras Wines no Brasil, o produtor Luís Vieira teve a sua vida marcada pelas videiras desde o seu nascimento, filho e neto de produtores e comerciantes, aos cinco anos caiu num depósito de vinho e quase morreu afogado, não fosse um empregado do seu avô, que providencialmente o socorreu. Ainda hoje, Luis Vieira relembra com humor essa passagem e diz que a mesma simbolizou o seu “batismo no mundo do vinho”, a partir daquele momento sua vida estaria ligada aquela bebida para sempre.

Criada em 2010, a Parras Wines teve sua origem bem antes, mais precisamente na virada do século, em 1999, com a aquisição da Quinta do Gradil, propriedade que pertencia originalmente ao Marques de Pombal e que teve sua área vinícola criteriosamente reconvertida para castas de maior qualidade pelos novos proprietários. Hoje a empresa situa-se entre as dez maiores produtoras e engarrafadoras de vinhos de Portugal, com sua produção espalhada pelas Região Vinícola de Lisboa, Região do Douro, Terras dos Vinhos Verdes, Dão, Tejo, Península de Setubal e Alentejo, mediante parcerias com produtores locais, com rótulos como Casa das Gaeiras, Pera Doce, Quinta do Gradil, Mula Velha, Montaria, Mau Maria, Encosta do Arcos, Alma Doce e tantos outros que integram o variado portifólio do produtor, resultado da vocação empresarial do visionário Luís Vieira.

Para receber os convidados, o Sommelier Pedro Luz preparou um jantar harmonizado de tirar o folego, tendo a paradisíaca praia de Itapoan como cenário. O concorrido restaurante Casa de Vina, antiga residência do poeta Vinicius de Morais, emprestou seu espaço para um belíssimo jantar personalizado para quase 100 convidados, com elogiadíssimos pratos da cozinha portuguesa, como Sardinhas em Saor com Cebola, Polvo com Arroz Negro e Risoto de Vinho Tinto com Costela. Para combinar, delícias como o alegre Mau Maria, Castelo do Sulco Rosé, Quinta do Gradil Sauvignon Blanc e o potente Montaria Grande Escolha. Para a sobremesa, o Vinho do Porto Montaria, servido com Salame de Chocolate com Chantilly, foi a combinação escolhida.

Tempo de Vinho esteve presente ao evento a convite do simpático Pedro Luz, e em meio a animados bate-papos sobre vinhos e uma deliciosa apresentação de produtor Luís Vieira, pode experimentar alguns vinhos da vinícola. Separamos para os nossos leitores, os vinhos mais refrescantes da noite, que combinam com o verão baiano e com um fim de tarde em Itapuã. Vamos às taças:

Comecemos pelo Mau Maria,  um despretensioso vinho verde produzido pela Parras Wine a partir das castas Azal e Loureiro, com baixo teor alcoólico, maceração carbônica, praticamente um frisante, com aromas sutis de cítricos, frutas brancas e eventuais notas tropicas e baixa acidez. A delicada prensagem, a colheita ainda nas primeiras horas da manhã, tudo remete à ideia de que preservar o frescor do fruto, nele os goles fluem naturalmente, abrindo espaço para ostras, sashimis ou ceviches peruanos e tudo mais em que o vinho não deve se sobrepor aos sabores delicados do alimento. No jantar oferecido elevou as sardinhas portuguesas a um grau máximo de sabor, seguramente imperdível.

Já Castelo do Sulco Rosé, é um blend lisboense formado por castas clássicas da região, como Tinta Roriz, Castelão e Touriga Nacional, vinificadas sem as cascas e se destaca por ser intenso e aromático, com aromas de morangos e framboesas, bastante acidez e que preserva uma boa dose de taninos, se mostrando o par perfeito para pratos leves à base de carne, a exemplo do steak tartar servido na noite, como também para pescados e saladas. Um vinho de muita personalidade, persistência e que deve ser servido quase que gelado. Quer melhor para o nosso clima e culinária? Impossível!

 

Por fim, apresentamos o Quinta do Gradil Sauvignon Blanc e Arinto, um refrescante vinho branco, límpido e de reflexos citrinos, que traz como destaque uma elegante mineralidade, pontuada por toques de frutas brancas e notas cítricas de limão siciliano. Leve e agradável, possui uma acidez vivaz e grande persistência, o que o habilita a ocupar um lugar de destaque em qualquer evento gastronômico. Servido com polvos e arroz negro, combinou perfeitamente, mas tenho certeza que com uma agulhinha, ostras ou um peixe frito servido na Pedra-Furada ficaria divino! Também foram servidos os sensacionais vinhos Montaria Grande Escolha e o Porto Montaria, mas que comentaremos em outra oportunidade.


Os vinhos da Parras Wines são praticamente encontrados em todos os bons restaurantes baianos, e, quase sempre, com preços atraente e uma boa relação de custo/benefício, vale a pena experimentar.

BAHIA VINHO SHOW 2017

Entre os dias 28 a 30 de novembro, Salvador sediará o Bahia Vinho Show 2017. Evento que leva a assinatura do Clube Gourmet Bahia, promete reunir os principais representantes e importadores do mercado de vinhos baiano no Hotel Vila Galé Salvador, localizado em ondina.

Imperdível para distribuidores, vinícolas, sommerliers e amantes do vinho, o evento contará com a participação de palestrantes internacionais e uma grande diversidade de rótulos premiados. Os ingressos custarão R$ 50,00 por dia e darão direito a uma exclusiva taça para degustação dos vinhos junto aos expositores. Para maiores informações, acesse o site www.clubegourmetbahia.com.


Acompanhe a Coluna Tempo de Vinho e o Instagram @tempodevinho e fique por dentro das novidades do mundo do vinho na Bahia.