segunda-feira, 20 de novembro de 2017
Colunistas / Tempo de Vinho
Maurício Ferreira

AGENDA DO ENÓFILO/BAHIA – SETEMBRO é Tempo de Vinho

*Maurício Ferreira é bacharel em direito, professor universitário, sommelier profissional filiado a ABS-SP e colaborador do Bahia Já, onde assina a coluna Tempo de Vinho.
11/09/2017 às 09:14
  Os próximos dias prometem muitas atrações para os amantes do vinho na Bahia, jantares harmonizados, menus construídos a quatro mãos, cursos de vinhos para iniciantes com jantar harmonizado e, até mesmo, uma apresentação do sommelier Alexandre Takey desmistificando o mundo do vinho em 15 mitos ou verdades. É atração para todos os gostos!
 
   Começando pelo Sul da Bahia, a Du Vale Vinhos promove no próximo dia 23/09, às 20:00 horas na Maison Bella Vista, localizada na cidade de Itapetinga, o concorrido Curso de Vinhos de Itapetinga. O evento constará de uma palestra e um jantar harmonizado e guiado pelo Sommelier Internacional Pedro Luz, e tem por objetivo despertar sabores e aromas na degustação dos vinhos para iniciantes e apreciadores e constará da degustação de pelo menos 5 rótulos escolhidos com a aprovação do expert em vinhos Ivan Vale Jr. Para os interessados, fica a dica: corram para se inscrever, porque o número de vagas é limitado e as inscrições devem se encerrar no próximo dia 15, portanto, reservem logo o seu lugar à mesa, o telefone para contatos é (77) 99194-2908.
 
   Outro evento que promete surpreender os fãs de vinhos argentinos, é o jantar harmonizado promovido pela restaurateur Viviane Mendonça no próximo dia 14 de setembro (sexta-feira), às 20:30 horas,  em seu belíssimo Bistrot Du Vin Adega, que já se tornou uma referencia no mundo do vinho na Bahia, exclusivamente com rótulos da conhecida Bodega Catena Zapata. A degustação que tem por intenção demonstrar que a história do produtor se confunde com a própria história das vinícolas argentinas, terá a presença de Marcelo Vilhena, embaixador da Catena Zapata no Brasil.
 
   Regada exclusivamente com os inconfundíveis aromas e sabores do vinhedo Adriana, traz pérolas da vinicultura argentina, como o Catena Chardonnay servida com o delicioso Brochete de Robalo em Crostas d’Ervas com Mousse de Mandioquinha, como entrada; o tinto Angélica Zapata Merlot servido com o inusitado Risoto Nordestino de Queijo Coalho com Carne de Sol e Couve Crocrante, o premiado D.V. Catena Cabernet/Malbec, acompanhando um suculento Filet Mignon ao Molho de Vinho Tinto e Batata Rústica e, por fim, o sedutor Catena Semillon Doux, servido com torta gelada peruana de limão com farofa de biscoito, no que promete ser uma sobremesa inesquecível. Enfim um jantar top para um evento top, como todos que levam a grife Bistrot Du Vin. Na ocasião, os vinhos da marca serão vendidos a preços promocionais, para maiores informações o telefone é (71) 3231-1933.
 
   Também no dia 14 de setembro (quinta-feira), a partir das 20:30 horas, será o Jantar a quatro mãos promovido pelo restaurante Veleiro do Yacht Clube da Bahia. Prometendo uma verdadeira viagem gastronômica, o premiado chef Fernando Cerqueira se reúne com a colunista de gastronomia do site Bahia Vitrine, Helena Fialho, especializada em eventos petit-comitê, para um jantar com muito amor e carinho. O evento custa R$ 150,00 e o telefone para informações e reservas é (71) 2105-9132.
 
  Para os que não fazem questão das proteínas a mais de um jantar harmonizado, e se contentam apenas em degustar bons vinhos com a presença de um orientador de alto nível, a pedida é o curso intensivo “O mundo do vinho em 15 mitos ou verdades”, ministrado pelo sommelier Alexandre Takei, na Enoteca Decanter, situada na rua Alexandre Herculano, 18 , situada na Pituba.  Na oportunidade, o conhecido Alexandre Takei promete desmistificar algumas das principais lendas do mundo do vinho e que fazem a alegria dos enochatos. O evento promete e as inscrições podem ser feitas pelo telefone (71) 99981-7151.
 
  Como o leitor da Coluna Tempo de Vinho já percebeu o universo do vinho na Bahia felizmente se encontra muito movimentado, com eventos para todos os gostos, o que é muito bem-vindo, principalmente se considerarmos, que nos últimos anos o nosso estado passou a integrar um dos mais importantes polos de produção de vinhos brasileiros. De fato, a pequena região do Vale do São Francisco, que se divide entre a Bahia e Pernambuco, já responde por quase 15% das vendas do mercado, com rótulos como o Espumante rio Sol Brut Rosé, o Miolo Terra Nova Moscatel, o Vinho Tinto paralelo 8 Premium, o Vinho Tinto Rio Sol Winemakers e o premiadíssimo Syrah Testardi Miolo, considerado o melhor tinto nacional pela Expovini 2016.
 
   Para os nosso leitores, Tempo de Vinho não poderia deixar de apresentar as notas do impressionante Testardi Miolo 2015, degustado em uma tarde de Tops Nacionais, realizada na última semana, vamos as notas:
 
Testardi Miolo Syrah 2015, só quem é amante do vinho pode avaliar o quanto é excitante ser apresentado a um rótulo novo, desconstruir conceitos e preconceitos, e mostrar que muito ainda temos que aprender. Apesar de ser um grande apreciador dos vinhos brasileiros, sempre tive resistência em incluir um vinho baiano como um dos meus favoritos. Mesmo sabendo que o Testardi 2012 da Miolo anteriormente já tinha sido considerado o TopTen dentre os tintos nacionais na Expovini de 2016, pois achava que era uma ação de marketing. Não podia acreditar no que lia, mas após degustá-lo, posso garantir: o Testardi Syrah é seguramente um dos melhores vinhos nacionais.
 
Produzido na Vinícola Ouro Verde, de propriedade do Grupo Miolo Wine,  mais do que um icone da vinicultura brasileira, representa uma ode a obstinação dos produtores locais, comprometidos em comprovar que é possivel produzir um vinho de primeira linha em uma zona climática totalmente inusitada, como o sertão baiano! Não a toa, Testardi em italiano, significa obstinado ou teimoso (cabeça dura, para alguns). Após conhecê-lo, posso assegurar: o resultado é um grande vinho, que nos reporta aos bons Syrah vinificados no Chile lá pelos anos 90.
 
Corpulento,  bastante potente e alcóolico, possui coloração rubi intenso de reflexos violáceos, quase enegrecidos, revelando alta concentração da fruta. De aroma intenso e complexo, com bom equilibrio com a  madeira (12 meses em carvalho francês), possui notas evolutivas de ameixa preta, cerejas, gengibre  e especiarias finas, como pimenta do reino, noz moscada e cravo da índia. Na boca é volumoso, com toques de frutas maduras, baunilha e defumados. Final de boca longo e taninos evoluídos, finalizam a avaliação.  Um final surpreendente, que desde já pode ser considerado um dos melhores vinhos já feitos no Brasil.
 
Espero que nossos leitores tenham gostado deste teste, ao tempo em que convido para que curtam nossa coluna, também no instagram @tempodevinho.