Colunistas / Tempo de Vinho
Maurício Ferreira

SALVADOR RECEBE MOëT & CHANDON EXPÉRIENCE

*Maurício Ferreira é bacharel em direito, professor universitário, sommelier profissional filiado a ABS-SP e colaborador do Bahia Já, onde assina a coluna Tempo de Vinho
26/08/2017 às 14:12

Nesta quinta-feira, dia 31, o restaurante Bistrot du Vin, da empresária Viviane Mendonça, promoverá o Moët & Chandon Expériences em Salvador. O evento, que contará com um jantar harmonizado preparado pelo renomado  Chef Executivo do restaurante Eleven de Porto Alegre, Paulo Ribeiro, será completamente harmonizado com espumantes produzidos pela Maison Moët & Chandon, uma da mais importantes produtoras de Champagne do mundo.
 
Atualmente pertencente ao grupo LVMH (Louis-Vuitton-Moët-Hennessy), maior grupo de artigos de luxo do mundo, a Moët & Chandon é a fornecedora oficial de champagne da Casa Real Inglesa e, particularmente, a preferida da rainha Elizabeth II.
 
Criada em meados de 1743 pelo francês Claude Moët, um próspero comerciante de vinhos da região de Champagne em Paris, expandiu seus negócios no reinado do rei Luis XV, quando a demanda de vinhos espumantes passou a ter um grande procura. Moët expandiu rapidamente seus negócios e, pelo final do século XVIII, já estava exportando a bebida para toda a Europa e Estados Unidos. Mas foi através de seu neto, Jean-Rémy Moët, que passou a alcançar uma clientela de elite e se consolidou como um produto de luxo, com clientes como Thomas Jefferson e Napoleão Bonaparte. O nome Chandon só foi incorporado à marca quando Jean-Rémy Moët deu a metade da companhia a seu genro Pierre-Gabriel Chandon de Briailles em 1832, e a outra metade a seu filho, Victor Moët, criando assim a Moët & Chandon.
 
O  evento promete ser um marco no cenário gastronômico baiano, introduzindo o público soteropolitano aos prazeres da mais tradicional bebida francesa.
 
O cardápio, uma atração à tarde, contará com uma entrada  de mix de folhas verdes com queijo brie, molho aos três pimentões e vinagrete do chef, harmonizado com Moët Chandon Imperial Ice; linguini ao vongoli mediterrâneo, harmonizado com Moët Chandon Imperial Brut; seguido de arroz de bacalhau, cebola caramelizada, alho crocrante, azeitonas, ovos e tuili de parmesão, harmonizado com a deliciosa Moët & Chandon Imperial Brut Rosé e por fim uma torta gelada de limão siciliano com farofa de biscoito, finamente harmonizada com a Moët & Chandon Nectar Imperial. Um jantar para Master Chef nenhum botar defeito.
 
Para maiores informações o telefone para contato é (71) 3231-1933.
 
Tempo de Vinho teve acesso aos rótulos da Moët & Chandon que comporão o jantar, vamos às taças:
 
O Moët & Chandon Imperial Ice ostenta o título de ser o primeiro Champagne do mundo elaborado especificamente para ser degustado “on the rocks”, isto é, com gelo, mantendo seu sabor intenso e oferecendo uma sensação altamente refrescante. Inicialmente criado como uma edição limitada, para ser degustado em resorts e destinos exclusivos de Saint-Tropez, Ibiza, Capri, Mônaco e Beverly Hills, se tornou uma das estrelas da Moët & Chandon.  Complexo e estruturado, é capaz de preservar suas características de aroma e paladar mesmo após a diluição com gelo. Contando com notas florais, toques de especiarias doces, como anis, frutas do bosque e menta, que evoluem para frutas tropicais, como goiaba e manga, revelando-se um Champagne único e sem concorrentes, ideal para ser harmonizado com saladas cruas e alimentos naturais, ou simplesmente degustado no passeio de barco ou na piscina.
 
O Moët & Chandon Imperial Brut é o mais emblemático produto da Maison, saboroso e frutado, possui um estilo descontraído e elegante, ideal para momentos especiais. Delicadamente cítrico, com toques de frutas brancas, notas de torrefação e amêndoas, é clássico e original ao mesmo tempo. Sua perspicaz acidez, o torna ideal para compor com pratos de frutos do mar, revelando destacando uma enorme vocação gastronômica.  É, sem dúvidas, um grande coringa, o Champagne ideal para qualquer momento.
 
Moët Chandon Imperial Brut Rosé é o que podemos chamar de Champagne elevada ao estado de arte. De perlage densa e vigorosa, coloração rosácea e brilhante, possui notas de frutas vermelhas, sobretudo morango, combinadas na medida certa com pêras, amêndoas e baunilha. Complexa e bem estruturada, tem nas borbulhas que saltam a cada gole o seu ponto forte, ressaltando o inigualável sabor, que perdura indefinidamente no palato.
 
Por último, temos o Moët & Chandon Nectar Imperial, literalmente um verdadeiro e mitológico néctar dos deuses. Extremamente saborosa, esse demi-sec é elegante e harmonioso, com delicado dulçor, plenamente equilibrado pela excelente acidez. Toques cítricos, notas de frutas tropicais e apricot, com nuances de malte e cravo, talvez seja o mais ousado rótulo da Maison. Ideal para harmonizar com pratos à base de foie grás e sobremesas, com certeza se destacará junto à torta gelada de limão siciliano que será oferecida no Moët & Chandon Expériencies Salvador.
 
Esperamos que esta matéria tenha ajudado a desmistificar o mundo dos sabores e sensações de uma das maiores marcas de Champagne do mundo, a Moët & Chandon, que também produz o impressionante Dom Pérignon, mas isso é assunto para outra matéria do nosso Tempo de Vinho, aguardem.
 
*Maurício Ferreira é bacharel em direito, professor universitário, sommelier profissional filiado a ABS-SP e colaborador do Bahia Já, onde assina a coluna Tempo de Vinho.
 
Acompanhe o Instagram @tempodevinho e participe de nossos encontros e bate-papos ao vivo.