segunda-feira, 23 de setembro de 2019
Colunistas / Causos & Lendas
Lobisomem de Serrinha

LOBISOMEM SERRINHA tem receita pra salvar Neves, mas quer ser deputado

Expectativa é de que, se eleito, o Lobi da Serra vai ser matéria no Fantástico com Kubrusly
03/09/2014 às 11:30
 Quero dizer que, na última Copa do Mundo no Brasil, me prontifiquei para ajudar a seleção brasileira com Felipão, não fui ouvido, e deu no que deu com aquela humilhante goleada de 7x1 contra os germânicos. Também coloquei nossos serviços de orientação psicológica e esportiva ao Esporte Clube Bahia e ao Esporte Clube Vitória, inclusive com nomes de peso de nossa equipe - Boca do Mundo e Moacir da Umbuzada - desdenharam de nossa qualidade e os dois times estão coladinhos na zona de rebaixamnento do campeonato brasileiro, um segurando a lanterna e o outro querendo ficar com esse troféu, parecido com o que temos aqui na semana santa.

   Agora, antes que seja tarde, estamos dispostos a ajudar o candidato tucano a presidência da República, Mr Neves, sob pena dele integrar a Procissão do Fogaréu segurando uma tocha.

   Esta semana reuni nosso Conselho Político formado pelo "botequier" Teco, pelo vereador Reizinho, pelo homem das leis Tolentino Caneco, pelo empresário Alírio Vermelho e pelo "gourmet" Pinguinha para a gente analisar essa questão. 

   Diria que temos uma fórmula mágica para Mr Neves sair do buraco, desde que ele nos consulte, que ele pague o nosso marketing politico. Sem isso, nem adiante. 

   Anteontem, no debate do SBT, ele ficou de fora da tertúlia concentrada entre a beata do Acre e a chefe da Nacion. Se tivessemos o assessorando seria outra coisa.

   Nosso conselho também analisou a situação da nossa política local e verificou que, pelo andar da carruagem, com as forças politicas cada qual apoiando um nome para deputado - doutor Claudionor com um nome; doutor Silva com outro nome; doutor Carneiro com mais um nome; Cardosão com seu prefeido; os crentes com gente de fora; os "puliça" com nomes também de fora; os ruralistas, idem; a igreja católica idem-idem - tudo indica que a nossa gloriosa Serra não vai eleger ninguém para a Assmelbeia Legislativa e nós vamos ficar chupando dedo, mais uma vez. 

   Foi aí que Pinguinha, salvo engano ele tinha tomado uns gorós, pediu a palavra e disse o seguinte: - Ora se todos apoiassem o nome de V.Exa (se referia a mim), num bloco, forças conjuntas, garanto que estaria eleito e nos representaria na Assembleia baiana.

   De sua feita, Teco, também usou da palavra, dando um "apoiado" e mais um "bravo" exaltando as minhas qualidades de lider.

   Comentou Teco: - Já imaginaram! Seria a primeira vez na Assembleia que haveria um lobisomem em plenário e nas comissões técnicas e isso daria destaque aquela instituição.

   - Sairia no Fantástico, adveio Alírio Vermelho, e nossa cidade viraria noticia nacional com a manchete: - Lobi de Serrinha honra a casa legislativa da Bahia, caso único no Brasil, com aquele Kubrusly feioso nos entrevistando.

   Pra falar a verdade, no íntimo do meu coração, gostei da ideia. Creio que seria de grande valia para aquela casa a representação de um lobisomem em plenário. Garanto que, para a posse e demais sessões, iria com meu melhor terno risca de giz e meu sobretudo de capa Colonial e honraria meu mandato com muito trabalho.

   - Diria mais aos senhores - já exaltando possíveis feitos na reunião do Conselho - que exaltaria a Serra, convocaria uma equipe da melhor qualidade para me assessorar e tenham  certeza seria escolhido pela imprensa entre os melhores da casa na votação de final de ano, festa promovida por doutor Bina a aquelas meninas charmosas do Cerimonial.

   Para tanto - segui discursando na reunião do Conselho - levaria para me ajudar nessa tarefa como assessor parlamentar o insigne Franga Tomé; para RP, a "blond" Ju Caldas; para redigir os meus pronunciamentos o experiente José Aguiar; para assessor de imprensa, Ferraz da Continental, e nomearia gente da Serra para compor todo nosso gabinete, inclusive essa nossa secretária e organizadora de nossas atas, minha digníssima esposa dona Ester Loura. 

   Ela se sentiu lisonjeada e balançou a cabeça dizendo sim.

   Nisso, Tolentinio, que é homem das leis, pediu um aparte em nossa fala e advertiu: - Mas a nomeação de sua esposa pode ser considerada nepotismo e não cairia bem.

   - Reizinho, experiente na arte politica, rebateu: - V.Exa pode fazer uma nomeação entre amigos. Nomeia algum parente de um conselheiro no seu gabienete e o conselheiro nomeia dona Ester por lá.

   - Mas isso é nepotismo cruzado, dá bronca, rebateu Tolentino. 

   Pinguinha de sua parte, tenho impressão que tinha tomado umas três catuadas no bar de Barba Ruiva no Mercado Municipal, sorriu e comentou: - Dá em nada. Pode nomear que vão dizer que é esse tal de nepotismo cruzado, um absurdo, fazem uma investigão rigorosa do caso e fica por isso mesmo.

   - Vou pensar - intervi - explicando que "nosso mandato" prezaria pela austeridade, pela transparência, se inspiraria na bíblia como prega a beata, defenderia a sustetabilidade e o esporte amador, a alimentação do povo por insetos como é prática na Ásia evitando a poluição dos campos pelos bois e vacas, pugnaria pela expansão da energia eólica e assim por diante.

   - E pra nossa cidade, o que V. Exa faria? - perguntou Teco.

   - Tudo do melhor. Prometo não tanto quanto hoje promete o candidato do galego, mas, garantiria uma escada rolante entre essa baixada da Bela Vista onde nos encontramos e o centro da Serra para dar mais conforto aos nossos moradores, instalaria academias de natação com Jorge de Benedito em todos os bairros, uma escola de inovação tecnológica para transformar o sisal em alimento para nossas familias, um projeto de merenda escolar estadual para servir os beijus de dona Danda e a farinha de Ancelmo em toda a rede escolar, um coletivo cultural do samba de Pregidio Sambador, bolsa sexo com garantia de cialis e viagra grátis para as pessoas acima de 60 anos e muito mais.

    Nisso Pinguinha perguntou se ele não seria contemplado com uma boquinha.

   - Claro meu nobre Pinguinha! - já me comportamento como se deputado fosse. - Não só para você vou arranjar um cargo comissionado numa área do governo, como para sua dileta esposa que tanto tem servido à Serra.

   - Mas minha esposa já está empregada num órgão público, aquiesceu Pinguinha.

   - Não há ser nada. Ela pode repassar para sua cunhada desde que seja trabalhadora.

   Alírio Vermelho, de sua parte, também se interessou pela conversa e inquiriu: - E eu, dono de redutos no Cantinho e adjacências vou ficar sem nada?

   - Isso não é palavra que se usa para um deputado - já estava me achando  - pois, nada, não existe em nosso dicionario. Você terá tudo, obras à mancheia para sua empreiteira que, de médio porte como é, ficará uma gigante com a OAZ. Quiçá construirá viadutos em Feira de Santana e na capital.

   A conversa estava quase em tom de comício quando dona Ester interrompeu a reunião e disse que Mr Neves estava no telefone querendo falar comigo. Deu-se um silêncio infinito no ambiente. Reflexões à parte, o que dizer, como acertar o valor do marketing, conchavos a boa miúda.

   Já fui responder ao "home" com tudo arquitetado na cabeça.

   - Já soube de sua fama como consultor, como conselheiro das grandes causas e gostaria de contar com seus serviços, falou o candidato.

   A conversa deu pra ser ouvida pelos demais porque Ester havia colocado o telefone no viva voz.

   - Modéstia e discrição são nossas armas candidato. Somos apenas um observador das cousas nacionais (gostaram das cousas!) e estamos aqui para servi-lo no que for de mais últil para sua campanha - respondi.

   - Para encurtar a conversa quanto custaria os seus serviços? - perguntou.

   Foi um vexame no Conselho, cada um dando um pitaco, a ponto de'u colocar a mão no fone para ele não ouvir do outro lado da linha.
   - Peça R$1 milhão - comentou Teco. - É pouco, peça R$5 milhões - sussurou Tolentino. Não seja pobre até no pedir. Cobre R$10 milhões, falou o empresário Alírio.

   - E você Pinguinha! Não vai falar nada? - perguntei.

    - Agradeça a gentileza do "home" mas diga que V.EXa. não pode colaborar nem de graça; nem pago porque vai ser nosso deputado.

    Assim, seguindo o conselho de Pinguinha, já prometendo uma nomeação com DS melhor para ele, despedi-me de Mr Neves e estou aqui pronto para unir as forças da Serra e, "com o apoio do povo, com a ajuda de todos vocês" - a essa altura já tinha subido na mesa do Conselho falando como candidato - chegaremos a Assembleia". 

   Nisso entra na sala minha neta Sol, a qual estava chegando do Doménico Colégio da Teofilândia e ao observar aquela cena, eu em cima da mesa com dedo em riste, comentou:  - Xiii, meu avô tá falando igual a um deputado.