Artigos
22/08/2011 às 08:01

IDENTIDADE ATUALIZADA REPROVA IRMÃO GÊMEO PELO CHEFÃO

Edson Borges é jornalista em Feira de Santana

Édson Borges

Foto: DIV
Os órgãos oficiais exigem a identidade atualizada das pessoas
 

Está na moda a "identidade atualizada". Como atual significa hoje, agora, a foto de sua identidade tem que corresponder ao tempo real. Por exemplo: se você tem o cabelo grisalho e resolver pintar, tem que tirar uma nova carteira de identidade; se você é barbudo, mas resolveu tirar a barba, nova carteira; de repente, precisou usar óculos constantemente, ôpa...nova carteira!
 
Será que o governador Jacques Wagner tirou uma nova identidade quando raspou a barba?


O absurdo de cobrar uma "identidade atualizada" está se generalizando cada vez mais em órgãos públicos, onde a autenticidade do documento é questionada sem qualquer análise pericial. O chefão da repartição é quem decide se o seu documento merece credibilidade ou não, o que significa um dos mais graves desrespeitos ao cidadão: a acusação de fraude sem prova alguma, a não ser o olho e o bom humor (raríssimo numa repartição pública) do chefão.


O órgão mais arbitrário nessa cobrança tem sido o Detran, que, ao longo de anos, não tem dado exemplo de que tenha conseguido evitar escândalos de fraudes em licenciamentos de veículos e de carteiras de habilitação, exigindo a tal "identidade atualizada".


Levei meus dois filhos, de 18 anos, ao Detran para tirar a primeira carteira de motorista. A identidade dos dois foi tirada há apenas seis anos, exatamente no mesmo dia. Uma das identidades foi "condenada" pela chefia, a outra não! O curioso é que os meninos são gêmeos!


Quem ganha com a "identidade atualizada"?


http://bahiaja.com.br/artigo/2011/08/22/identidade-atualizada-reprova-irmao-gemeo-pelo-chefao,623,0.html