ter?a-feira, 23 de abril de 2019
Esporte

SUL-AMERICANA: BAHIA PERDE EM CASA PARA URUGUAIOS, ZédeJesusBarrêto

O torcedor saiu chateado com essa derrota do Bahia, até inesperada
ZédeJesusBarrêto , Salvador | 07/02/2019 às 21:17
Bahia 0x1 Liverpool
Foto: Felipe Oliveira


  O torcedor compareceu, torceu, acreditou na equipe e saiu na bronca da Fonte Nova na noite dessa quinta-feira. O Bahia teve o domínio da partida na primeira etapa,  desperdiçou várias chances de gol e foi surpreendido aos 36 minutos da segunda etapa com um gol de cabeça do atacante Ramirez, num dos raros lances ofensivos do Liverpool de Montevidéu. Levou 1 x 0 em casa, na sua estreia pela Copa Sul-Americana.

  O resultado  inesperado  adverso obriga o Tricolor a vencer o jogo de volta em Montevidéu, uma missão bem mais complicada, porque os uruguaios sabem se defender em bloco, são manhosos, tinhosos.

  Gol na manha  

  Foi na manha que venceram. Jogaram todo tempo atrás, com uma linha postada de cinco zagueiros na grande área, e outra linha de quatro mais à frente, fechando os espaços de manobra do adversário. Poucas vezes passaram do meio campo.

 Num lance de falta, na intermediária, catimbaram e ganharam o tempo que puderam;  na distração do miolo de zaga tricolor, Jackson e Lucas Fonseca pararam, e a bola  lançada rápida  na direção da marca do pênalti encontrou o avante Benitez  livre, para marcar de cabeça.  Foi a única chance de gol que tiveram, marcaram. E comemoraram muito.

  Imaginem a ‘guerra’ que será em Montevidéu.

*

   Domínio inócuo

  Com a bola rolando no primeiro tempo o Bahia teve a iniciativa e mandou em campo. Quem mais apareceu foi o goleirão Bava, ganhando todas pelo alto e salvando o arco  com boas pegadas.

 Aos 6’, por exemplo, rebateu cabeçada certeira de Gilberto e abafou o rebote de Guilherme. Aos 16’, Moisés cabeceou cruzamento de escanteio para fora, livre. Aos 26’, Guilherme bateu falta, Bava desviou e a bola ainda triscou no travessão. Aos 29’, após tabela com Artur, Gregore arrematou de frente e o goleirão catou.  Aos 31, Artur bateu forte no gol e aos 32 Gilberto tentou, mas as duas tentativas ficaram nas mãos de Bava. Aos 34, Douglas Augusto recebeu de Artur na área, livre, e bateu para fora.

 Douglas, o goleiro do Bahia, fez uma defesa apenas, num chute enviesado da esquerda. Sò deu Tricolor nos primeiros 45, mas cadê o gol?

  *

 O Tricolor voltou em cima também na segunda etapa, porém os jogadores já não tinham o mesmo ímpeto e a velocidade foi caindo, as pernas pesando, a ansiedade batendo com o passar do tempo, muitos chutes e passes errados ...  e a equipe uruguaia apostando no empate, mascando, caindo em campo, ganhando tempo, enervando ...

  Pressão, bolas alçadas, substituições, Fernandão pesadão em campo e nada acontecia.  Até que o cansaço bateu de ver por volta dos 30 minutos, nada de gol e abriram-se espaços no meio campo, o adversário soube aproveitar.

  No cochilo vacilão da zaga, os uruguaios surpreenderam, acharam o gol e ganharam o jogo.   Frustrante. Lá no Uruguai a toada é outra. O Bahia pode ser eliminado pelo pouco conhecido Liverpool logo no primeiro duelo da competição internacional.    

  A verdade é que, como aconteceu no Ba x Vi passado, a equipe de Ênderson tem a posse de bola mas não consegue finalizar bem. E na segunda etapa morre em campo.

*

   Destaques

   O goleiro uruguaio Bava, a ótima postura defensiva da equipe do Liverpool, a manha uruguaia. Funciona.

   No Bahia, o miolo de zaga deu branco no lance do gol; Os laterais correram muito e produziram pouco, levantando bolas apenas na pequena área adversária. Gregore lutador, Douglas Augusto, Guilherme melhorou um pouco; Gilberto não viu bola e os meias Shaylon e Artur sentiram o peso de enfrentar um adversário fechado e maduro.

 Ênderson Moreira precisa rever o jeito de jogar, de atacar da equipe. Chega mas não broca.     

  **

  Ficha Técnica

   Bahia – Douglas, Nino,Jackson, Lucas Fonseca e Moisés (Paulinho); Gregore, Douglas Augusto, Guilherme (Fernandão); Artur, Gilberto e Shaylon (Rogério).

  Liverpool(URU) – Bava, Nuñez, Makuka, Gonzalez e Rivas; Rosso, Figueredo, Caballero; Martinez, Ocampo (Oliveira) e Franco (Ramirez)

 No apito, o venezuelano Jesus Valenzuela.

**

   Pedreiras pela frente

  O Bahia volta a campo domingo, na Fonte, pelo Baianão. Enfrenta o Jacobina.

   Depois, faz quatro jogos seguidos fora – pela Copa do Brasil, Baianão e a volta da Sul -americana. Pedreiras.  O torcedor já mostra impaciência.

 

**