quinta-feira, 21 de setembro de 2017
Esporte

GP Brasil de Kettlebel se destacou pela qualidade e número de atletas

O GP foi realizado sábado (9)
Walmir Rosário , Salvador | 12/09/2017 às 15:14
Denis Vasilev
Foto: Andrei Panorama Digital
p.p1 {margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; line-height: 17.0px; font: 9.0px Arial; color: #232323; -webkit-text-stroke: #232323} p.p2 {margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; line-height: 17.0px; font: 9.0px Arial; color: #232323; -webkit-text-stroke: #232323; min-height: 10.0px} span.s1 {font-kerning: none}

Realizado pela primeira vez na Bahia, o World Kettlebell Grand Prix Series, etapa Brasil, foi considerado o maior já realizado na América do Sul pela

quantidade de atletas inscritos e pelo alto nível dos competidores. O GP foi realizado sábado (9), no São Salvador Hotéis e Convenções, em Salvador, com a participação de atletas dos vários países e estados brasileiros.

Dentre os destaques Canditade Master of Sport (CMS), Danny Strange, CMS, biathlon 32 kg, 10 min, categoria profissional (Chile); Leonel Mota Ribas, CMS, snatch 28 kg, 10 min (São Paulo); Lindolfo Neto, CMS, biathlon 28 kg, 10 min (São Paulo); Fábio Leal, CMS,snatch 24 kg, 5 min (Bahia); Patrícia Barros, CMS, snatch 16 kg, 10 min (Bahia); Larissa Mamede, CMS, snatch 16 kg, 10 min (Bahia); e Vanessa Crepaldi, CMS, snatch 20 kg e TALC 5 min 16 kg (Santa Catarina).

Para o organizador do GP Brasil, João Rosário, da Brutal SC, o evento contou com a participação do russo Sergei Rachinskii, considerado o atleta supremo do Kettlebell Sport, que competiu pela primeira vez na América Latina. Ele fez 166 repetições de jerk e 200 repetições de snatch com 24 kg. Rachinskii tem 29 anos no esporte e fez parte do time de ouro da Rússia dos anos 90.

Também presente pela quarta vez no Brasil o russo Denis Vasilev participou da prova de long cycle com 24 kg e fez uma marca impressionante de 132 repetições em 10 min, uma média de 13 repetições por minuto. “Somente para se ter uma ideia, a maioria dos atletas da categoria de peso dele faz de 80 a 100 repetições”, ressaltou João Rosário.

Dentre os destaques femininos no GP Brasil, a argentina Sabrina Aguilera, vice- campeã mundial, foi a que levantou mais pesado, 2 kettlebell de 24 kg em 41 repetições; Nicole Zaniz, de Santa Catarina, disputou o long cycle com dois kettlebells de 16 kg e fez 65 repetições, maior número de repetições entre as mulheres que levantaram o mesmo peso.

O atleta Yuri Menezes, de Florianópolis (SC), que com apenas 10 anos fez 102 repetições com 8 kg, e mostrou toda a garra e determinação de um vencedor. “A Bahia teve mais de 50% dos inscritos e já é considerado um estado de referência no esporte, apesar do pouco tempo de treinamento”, acentuou o educador físico João Rosário.

Canavieiras – Os atletas de Canavieiras, no Sul da Bahia, se destacaram pela técnica e resultados, sendo bastante elogiados pelos mais experientes e faturaram três medalhas de ouro e duas de prata. Leandro Alves, Joyce Araújo e Poliana Silva foram medalhistas de ouro, enquanto Jessé Pimenta e Nara Lima, ganharam medalhas de prata.

O que chamou a atenção é que os atletas Jessé Pimenta e Nara Lima praticam com o kettlebell há apenas 4 meses. Já Poliana Silva disputou o snatch 12 kg em 10 min e fez a maior pontuação (192 pontos) entre as mulheres que disputaram a mesma prova com o mesmo peso. “Com o nível dos atletas, esperamos que no próximo ano tenhamos um campeonato com mais e melhores atletas”, concluiu João Rosário.