sexta-feira, 22 de junho de 2018
Economia

ARRIÁ DO COMÉRCIO em Feira de Santana promove bons negócios

Um local bom para se divertir e também fazer as compras para os festejos juninos
Da Redação , Salvador | 12/06/2018 às 18:15
É tempo de São João, de fartura na mesa e negócios
Foto: PMFS

O Arraiá do Comércio, realizado na praça do Fórum, se consolidou como uma boa opção de lazer para o feirense neste período de festejos juninos. Pessoas como José Ferreira Gama, de 70 anos um ex-policial militar que dá show dançando forró e não perde uma edição da festa.

Ex-capitão da PM, seu José ainda tem a energia dos seus tempos de policial. “Não sei é se a banda vai conseguir me acompanhar”, brinca. No auge de sua idade, o dançarino está literalmente na pista. Vive sozinho há 20 anos, mas com tanto talento, sempre acha uma parceira para compartilhar a paixão pela dança. E se não achar, segue o baile.

“Eu não sei tocar nem um triângulo, mas dançar forró é comigo mesmo”, afirma. Seu José curte forró o ano inteiro. “Todo domingo tem um forró no largo do Parque Subaé e sempre estou lá”, declara.

O Arraiá prossegue até o dia 16

O Arraiá do Comércio é realizado pela Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, em parceria com o Sesc e a Associação Comercial e Empresarial de Feira de Santana Este ano, a programação também contempla o Mercado de Arte Popular e o Balcão de Artes. Nestes dois equipamentos, a programação vai das 12 às 14h, entre os dias 11 e 15 de junho.

Já na praça do Fórum, a festa começa, nos fins de semana, a partir das 10h. Nos dias úteis, as atrações sobem ao palco somente a partir das 18h, mas a comercialização dos produtos típicos tem início sempre às 10h. A festa segue até o dia 16.

Festa é boa opção de renda para agricultores

Setenta e cinco agricultores participam do Arraiá vendendo comidas típicas juninas. Segundo Jurandir Carvalho, coordenador da Associação dos Produtores de Agricultura Familiar e Economia Solidária de Feira de Santana, entidade que dá apoio ao evento, a expectativa dos produtores pare este ano é que as vendas girem em torno de R$ 250 mil.

“Além de proporcionar um forrozinho, a festa é uma fonte de renda para o morador da zona rural, além de fortalecer a agricultura familiar. Já teve caso de uma produtora que vendeu R$ 25 mil em produtos aqui”, completa.

Segundo Ana Silmara, gerente do Sesc e uma das coordenadoras do Arraiá, todos os agricultores passam por um treinamento, que aborda aspectos como o código do consumidor, apresentação, etc.