ter?a-feira, 18 de junho de 2019
Direito

Projeto do MPT para empregabilidade de jovens negros inicia as aulas

As aulas se iniciarão no dia 8
Ascom MPT Bahia , Salvador | 06/06/2019 às 09:47
Valdirene Assis
Foto: divulgação
O projeto Conexão Negra, iniciativa do Ministério Público do Trabalho (MPT) em parceria com a Cáritas Brasileira e o Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), iniciará suas aulas neste sábado (8/06) na sede do Ilê Aiyê, no bairro do Curuzu, em Salvador.
Todos os fins de semana jovens universitários negros passarão por curso de qualificação profissional e por processo de inserção no mercado de trabalho em quatro áreas: advocacia, publicidade, empresarial e estética afro. As aulas acontecem na sede do bloco afro Ilê Aiyê, no bairro do Curuzu, em Salvador, e beneficiarão 400 pessoas no período de um ano.
Publicidade é o primeiro módulo do projeto, que contará com a participação de empresas de grande porte dos quatro setores para realizar a capacitação dos jovens negros. Os participantes do curso poderão, ao final, ser contratados pelas empresas parceiras, a fim de ampliar o acesso dessa parcela da população ao mercado de trabalho. Para a coordenadora nacional do Conexão Negra, a procuradora Valdirene Assis, “as cotas raciais nas universidades e institutos federais já se reflete numa melhor capacitação da população negra brasileira, mas essa evolução ainda não aparece na mesma proporção em termos de presença do negro no mercado de trabalho e em postos de destaque”, avaliou.
Mais do que capacitar os jovens, oferecendo a eles o contato com profissionais das maiores empresas de cada setor envolvido, o objetivo do projeto também é o de oferecer empregabilidade, aproximando esses jovens das empresas e estimulando as empresas a absorver essa mão de obra e a promover a diversidade racial nas organizações. O programa tem duração de três meses para cada área, contando com aulas realizadas aos sábados, a partir das 14h. Ao todo, 400 jovens serão capacitados, sendo cem em cada módulo. Nesse módulo de publicidade, profissionais da agência África, uma das maiores do país, se somarão a outros profissionais das maiores agências de publicidade do estado, que participam de forma voluntária da ação.
Diversidade racial - O Conexão Negra possui quatro módulos tendo como foco os ramos de advocacia, empresarial e estética negra, este último pensado especialmente para o Ilê devido a sua tradição na comunidade negra. Ele foi lançado na última quinta-feira (30/05) com aula inaugural na sede do bloco afro Ilê Aiyê. O projeto do MPT, em conjunto com a Cáritas do Brasil e o Pacto Global da ONU, contará com a participação das melhores agências de publicidade, dos maiores escritórios de advocacia, com grandes empresários e com os melhores representantes da área de estética afro.

As empresas convidadas não estão cumprindo qualquer tipo de imposição, mas sim se unindo à proposta de promoção da diversidade étnico-racial nas organizações. Além de cederem os profissionais para as aulas, elas também foram sensibilizadas a buscar entre os participantes do treinamento futuros profissionais a serem contratados. A iniciativa tem como objetivo capacitar jovens negros para entrar no mercado de trabalho e crescer dentro das empresas. O Conexão Negra também passará por São Paulo e depois seguirá para outros estados, mantendo a parceria com a Cáritas Brasileira e agregando a ONU Mulheres, que ministrará um curso na área de direitos humanos, e o Instituto Ethos.