segunda-feira, 26 de agosto de 2019
Direito

POLICIA INVESTIGA novo suspeito no caso da menina Madeleine MacCann

Caso estaria ligado a gangs internacionais com envolvimento da Policia. Com informações do The Sun
Da Redação , da redação em Salvador | 04/05/2019 às 17:16
Madeleine MacCann hoje tem 17 anos de idade
Foto: THE SUN
MADELEINE McCann pode ter sido levado por gangues de tráfico sexual ajudadas pela polícia, afirmou-se.
A alegação chocante vem depois de policiais em Portugal estarem sondando um novo suspeito e uma nova pista após o desaparecimento de Maddie há 12 anos.

Madeleine, de 17 anos, desapareceu durante as férias em família na Praia da Luz, Portugal, em Maio de 2007.

Ela foi deixada dormindo sozinha com seus irmãos gêmeos mais novos enquanto seus pais jantavam com amigos em um restaurante de tapas nas proximidades, no complexo à beira-mar.

Agora, John Whitehead, do instituto norte-americano Rutherford, acredita que Madeleine foi tomada de forma semelhante a outros incontáveis ​​seqüestros de crianças em todo o mundo.

O think tank recentemente produziu um comentário intitulado A Essência do Mal: ​​Sexo com Crianças Tornou-se um Grande Negócio na América, que examinou como as crianças são compradas, vendidas e exploradas sexualmente.

Alegou que as crianças são levadas em suas próprias calçadas, abusadas na indústria do sexo a cada dois minutos e, em média, uma criança pode ser estuprada por 6.000 homens durante cinco anos, enquanto é mantida em cativeiro.

QUESTÃO GLOBAL

Quando perguntado se ele acha que Maddie pode ter sido tomada de forma semelhante, Whitehead disse ao Daily Star: "Oh, eu acho que ela estava. Crianças estão sendo levadas para todo o mundo.

"Quando você olha para crianças migrantes que cruzam a fronteira nos EUA, elas simplesmente desaparecem."

Whitehead também afirma que a indústria do sexo infantil pode ser possível graças ao que ele chama de "polícia predadora" - embora não haja evidências de que a polícia portuguesa estivesse envolvida em ajudar no seqüestro de Maddie.

Ele levantou uma picada recente na Flórida em que 277 prisões foram feitas por tráfico sexual como exemplo.

Entre os presos estavam farmacêuticos, médicos e policiais.


O comentário do think tank também fez referência ao caso de um sargento da polícia da Califórnia preso sob acusação de estuprar uma garota de 16 anos que foi mantida em cativeiro e vendida para fazer sexo.

Whitehead fez alegações contra guardas de fronteira nos EUA como envolvidos no negócio do tráfico sexual.

Ele alega que cerca de 1.500 crianças migrantes, meninos e meninas, desapareceram.

'GRANDE NEGÓCIO'
Whitehead acrescentou: "É um grande negócio. Você pode conseguir mais dinheiro do que com drogas e armas porque tem crianças fazendo vários atos sexuais por dia e elas estão sendo filmadas".

Ele acrescentou que a indústria de tráfico sexual infantil poderia valer até US $ 9,5 bilhões apenas nos Estados Unidos, com crianças de até quatro anos sendo compradas e vendidas.