quarta-feira, 19 de dezembro de 2018
Direito

Imprensa de Alagoinhas dá o primeiro passo para formar a APCAR

Uma boa ideia para valorizar os profissionais do interior do estado esquecidos pelo SinjorBA
Vanderley Soares , Alagoinhas | 13/04/2018 às 18:42
Profissionais de imprensa de Alagoinhas
Foto: DIV

Reunidos na manhã de hoje (13) no auditório do Hotel Kasagrande, profissionais dos mais diferentes veículos de comunicação de Alagoinhas e região deram o primeiro passo para a consolidação da tão almejada associação representativa da classe.

Jornalistas, radialistas, publicitários e profissionais de sites acompanharam e opinaram sobre a constituição do primeiro estatuto do que será a Associação dos Profissionais de Comunicação de Alagoinhas e Região Agreste e Litoral Norte da Bahia.

A ideia é congregar profissionais da comunicação de pelo menos 30 municípios, a maioria desassistida pelos sindicatos que representam constitucionalmente o segmento.

O próximo passo será a eleição da primeira diretoria, constituição do regimento e nomeação dos delegados e sub-delegados de cada município da região em que atuará.

A proposta de criar a entidade é dar representatividade, voz e oportunidade de celebrar convênios com instituições públicas e privadas na realização de atividades como seminários, cursos e treinamentos, atualizando os profissionais sobre as novas ferramentas utilizadas.

Acompanhando a reunião e desde já convidado para compor a diretoria, o advogado Paulo Ott será o responsável pela revisão do estatuto da classe, que será analisado na próxima reunião.

Belmiro Deusdete, Vanderley Soares, Márcio Ramos, Reinaldo Silva, Jair Lisboa, Davidillan Ribeiro, Hanna Larissa e Maria Eduarda Neres participaram da primeira reunião.

A próxima reunião será agendada para os próximos 15 dias, data em que pretendem selar a criação da entidade, com sede provisória e apresentação dos projetos que serão desenvolvidos.

“Não temos a presença de nossos sindicatos de classe aqui, daí a necessidade de criarmos a nossa entidade e buscar parcerias para a realização das atividades da classe”, disse Belmiro Deusdete.

Vanderley Soares, que na década de 1990 apresentou ao Sinterp um projeto de criação da Casa do Radialista, disse que agora terá a oportunidade de realizar seu sonho, quase 30 anos depois. “Além disso tem o museu do rádio, o estúdio para treinamento, uma redação e instrumentos de desenvolvimento dos profissionais”, disse ele.

Aqui em Alagoinhas a ideia é que seja criada a Casa da Mídia, uma forma de compor os profissionais da comunicação de uma forma mais ampla. Depois de constituída, a entidade vai solicitar à Câmara Municipal e à Assembleia Legislativa o reconhecimento como de Utilidade Pública, o que vai facilitar na celebração de convênios com os entes federados.
 
COMENTÁRIO DO BJÁ

Sendo independente será uma boa iniciativa. Na medida em que celebre convênios com entes federados pode perder essa condição;