quarta-feira, 18 de setembro de 2019
Colunistas / Cinema
Diogo Berni
FROZEN, da Disney, é animação de cair o queixo

Titãs – A vida até parece uma festa, do músico e diretor Branco Mello, 2009, Brasil. O documentário nos conta em detalhes a trajetória de uma das bandas de rock nacional mais famosas do país.

Alabama Monroe, um filme apaixonante, por DIOGO BERNI

Temos como fios condutores do filme um casal de cantores de bluegrass, uma vertente do Country Music , formado por Didier (Johan Heldenberg) e Elise (Veerle Baetens)

Azul é a cor mais quente, vale a pena assistir esse caso de amor

Outra sugestão é o filme Jovem e Bela, de François Ozon

Blue Jasmine e a esperteza de Woody Allen

Os piratas do Caribe- navegando em mares profundos, do Rob Marshall, EUA, 2011; Que mostra uma coisa legal e velada

Poesia, uma obra prima sul-coreana

Lore, Reino Unido, Austrália, Alemanha, 2012, com uma mão firme em detalhes a diretora e co-roteirista australiana Cate Shortland

Tatuagem surpreende. É o melhor nacional do ano

Além do arco-íris, de Agnès Jaoui, França, 2013. Inverta os contos da Cinderela e da Bela adormecida

CINEMA: Menos que Nada, um filme denso de personagens

Capitão Philips, dirigido por Paul Greengrass e baseado numa história real, EUA, 2013

O homem que mudou o jogo, para seu feriadão.

Inch’Allah, dirigido e escrito por Anais Barbeau-Lavalette, com Evelyne Brochu protagonizando o fraco drama gaulês de 2012.

Terapia de Risco, um filme para se assistir duas vezes

Tocaia no Asfalto, dirigido por Roberto Pires e produzido por Glauber Rocha, Brasil- Bahia, 1962.

Las Acacias, um argentino muito especial

orge Mautner – O filho do holocausto, do Pedro Bial, Brasil, 2012; É um documentário que conta a vida do multi-artista brasileiro

SERRA PELADA revela a ambição pela grana

Serra Pelada, dirigido e co-roteirizado pelo excêntrico Heitor Dhalia, Brasil, 2013, produzido por Vagner Moura e ainda encabeçando o elenco com boas atuações de Juliano Cazarré e Júlio Andrade.

CINEMA: OS BELOS DIAS, viva e faça viver, belo filme

Família do bagulho (We´re the Millers), de Rawson Marshall Thurber, com Jennifer Aniston, EUA, 2013; Surpreende pelo humor despretensioso e inteligente em algumas cenas.

A Bela que Dorme, Love Lace e Camile Claudel

Três bons filmes para curtir no final de semana

O TEMPO E O VENTO, uma boa produção nacional

César deve morrer; Baseado na obra literária do fora de série dramaturgo inglês William Shakespeare e dirigido pela dupla Paulo e Vittorio Taviani, Itália, 2013

Dossiê Jango, para refletir sobre a morte de JG,

A Família, dirigido e roteirizado por Luc Besson, França, EUA. Até que fim Robert de Niro fez um papel do tamanho do seu talento e consegue reviver os seus grandes personagens mafiosos.

JOBS, uma aula de empreendedorismo

Mais duas obras indicações para seu final de semana

Hannah Arendt aborda holocausto com outra ótica

Olhos azuis é um documentário produzido, dirigido, escrito e roteirizado por sua própria protagonista, Jane Elliott, em 1995 e lançado no ano seguinte nos EUA

Viajo porque preciso...e os desafios humanos

Oh! Rebuceteio é um lendário longa nacional de 1984, dirigido e atuado pelo Cláudio Cunha

LORES RARAS é chocante como poesia

Sem dor sem ganho (Pain & Gain). Dirigido por Michael Bay, EUA, 2013. Trata-se de um filme adrenalizante do início ao fim.

PRÁ LÁ DO MUNDO e as vibes do Vale do Capão

Tese sobre um homicídio (Tesis sobre Homicídio ), de Hernán Goldfrid, Argentina, 2013, fica a desejar