sexta-feira, 05 de junho de 2020
Colunistas / Cinema
Diogo Berni

HORIZONTE, série brasileira Nefflix com formato diferente

Para falar com comentarista DIOGOBERNI@YAHOO.COM.BR
03/06/2017 às 12:57
Horizonte B, da Netflix, Brasil, 2017. Sempre quando acabo de assistir a uma série bisbilhotei-o primeiro no Youtube pra ver se tem uma crítica falada que do que vi. Se por ventura não existir recorro ao Google pra ler algo escrito. Curiosamente não achei em nenhum tipo nada da segunda série brasileira da Netflix, fato este que considero um susto, já que todos tem Netflix.

 Pois bem, então deduzi que não levaram a sério a série por se tratar de uma minissérie; explico: geralmente as séries são compostas de dez capítulos ou mais com cinquenta e poucos minutos cada episódio, e Horizonte B é uma série de só quatro capítulos de vinte e cinco minutos cada. Ou seja: em duas horas cravadas você acaba com a série latentemente gauchesca. 

Talvez tenha sido isso: ninguém quis escrever ou comentar sobre ela por ser demasiadamente gaúcha, mas pera lá: sabendo-se que a série mais vista pelos norte-americanos é exatamente uma outra série brasileira, seria então admissível que essa série tivesse mais prestígio, e isso de fato não acontece nem aqui e acho que nem acolá. 

Mas vamos aos fatos que originam a narrativa desta minissérie que se encontra no catálogo da Netflix com destinação a vários de países. Temos dois protagonistas; um quase criança e outro quase adulto. O quase criança acha uma pedra luminosa que acabara de cair do céu, como uma estrela cadente. E o quase adulto embrenha ou adentra-se na viagem do mais novo e viaja rumo ao interior do Rio Grande a fim de saber o qual é do mistério da pedra.

 Na estrada os garotos encontram um sujeito gordo interessado na pedra, e como bons gaúchos percebem que aquele pedra tem algum valor mesmo. A série se desenrola nesse mistério da pedra filosofal achada, e no desenvolvimento dos capítulos vemos que existem alguns exemplares dela em outras situações e com outras pessoas. 

Acho que pelo fato da Netflix estar investindo pesado em séries sobrenaturais essa nossa nacional entrou em seu catalogo pelo tema abordado, ou seja, pela pedra ser oriunda de outro planeta e queira dar algum recado através dela pelos alienígenas que a enviaram. Série mediana , mas com um formato diferente, e por isso interessante.