Colunistas / Cinema
Diogo Berni

Narcos, segunda temporada, EUA, 2016

Para contado com autor diogoberni@yahoo.com.br
10/09/2016 às 11:48
  Narcos - Segunda Temporada, de vários diretores, EUA, 2016. Acho imprescindível iniciar a resenha do final para o inicio. Ou seja, do capitulo décimo ao primeiro para mensurarmos como foi infeliz alguns aspectos dessa temporada.

    Iniciarei com uma frase de Pablo Escobar em Médelin já arruinado e comendo porcarias chinesas para se esconder dos inimigos e da policiazinha, ele disse em pleno dia que completa 44 anos: " Júlio César invadiu e tomou a Inglaterra quando tinha 44 anos, pra vocês verem que idade é relativa". 

   Aos 44 anos de idade Pablo vivia seu último ano de vida , mas ainda sonhava em por exemplo ser Um Nelson Mandela Colombiano que sairia da prisão para se tornar presidente do seu país, África do Sul. 

    Entretanto o mundo não compartilhava dos mesmos sonhos e queria Pablito a todo custo que fosse, morto, com um cunhado de balas em seu corpo para ter certeza que o vaso ruim tinha quebrado de fato. Não era possível uma entrega a prisão do antes então sétimo homem mais rico do mundo em seus melhores tempos. Todavia, agora começando do "começo" a segunda série de Narcos não foi nem de longe igual ou superior a sua primeira.

    A impressão que tive é que contaram tudo de importante que podiam na primeira e na segunda ficaram enrolando linguiça somente porque o povo clamou pela continuação, esta que terá uma terceira e quarta temporadas, mas só que agora sem Escobar, pois como sabem ele morre no capitulo dez da segunda temporada. Por isso meus caros que o nome da série da NetFlix se chama Narcos, referindo-se a narcotraficantes e não a um só, Escobar. 

   Mas vamos a segunda temporada, e quase que de imediato ( mas nem tão imediato assim já que surgiram só no capítulo quatro), escrevo que "Los Pepes" foi a desgraça de Pablo Escobar. Los Pepes eram dois irmãos que viviam na selva colombiana tentando vingar a morte do seu militar pai , este que fora brutalmente morto pelas forças revolucionárias das FARC. Bom, mas somente pra lembrar, a primeira temporada acaba com a invasão da Catedral, prisão de luxo feita e administrada por Pablo Gavíria Escobar e acordada com o governo colombiano. 

   Tendo como tida como a pior gafe da história da policia daquele país o narcotraficante sai ileso da prisão e assim inicia-se a segunda temporada, ao qual também pode ser conhecida como a derrocada do Narco número hum do mundo. Sim, ainda foragido e com os Estado Unidos mais que nunca em seu pé, Pablo Escobar ainda controlava o Cartel de Medélin, este que controlava toda a cocaína enviada a Miami. 

   Porém existia um cartel tão ou mais potente que o de Escobar: O de Cali, que controlava a leva do pó para Nova Yorque para seus executivos de Wall Street. Se existia um propenso comprador em Miami, em Nova Yorque isso se expandia para cinco compradores devido ao número de habitantes, porém ainda assim Miami fazia de Escobar um Narco poderoso e agora não só a polícia e os EUA o queriam morto, mas principalmente o cartel de Cali para invadir Miami também. 

   E o que os Narcos de Cali fazem então? contratam os fukkings sanguinários irmãos Los Pepes para se instalarem em Médelin e encherem o saco de Pablito até verem morto, mas não foi tão fácil assim. A cada sicário que Los Pepes pegavam de Escobar , este respondia matando civis com bombas para alertar a policia do que os sanguinários estavam fazendo nas ruas de Médelin. 

   A polícia por sua vez, fazia vistas grossas a mando do tio Sã, porque antes de tudo a pelo passado, a primeira ordem a ser feita era matar Escobar. Vendo que a morte estava chegando o Narco tenta tirar sua familia do país, mas sem êxito pela marcação do Tio Sã. No mais a atuação , tanto de performance quanto de castelhano de Wagner Moura melhora consideravelmente ( deve ter tido tempo mais de estudar a língua). 

  De suma a segunda temporada de Narcos não me agradou como a primeira pelo fato de, por vezes, exagerem nos ataques que Escobar fez devido a seu ódio pelos Los Pepes e ao Cartel de Cali consequentemente, fazendo do Narco uma figura completamente ruim e insana , fato este que não é verdade, basta vermos o seu último sicário que morre com ele e foi criado e batizado na igreja do bairro que tinha como nome Pablo Gavíria Escobar: O homem que saiu do nada e construiu um império; e ao pó iniciou e acabou sua "carreira".