Colunistas / Cinema
Diogo Berni

CINEMA: A MÚSICA SEGUNDO TOM JOBIM (2012) É UM PRIMOR

Musical de Nelson Pereira dos Santos
11/02/2012 às 05:09

Foto: DIV
O filme sobre Tom Jobim foi dirigido por Nelson Pereira dos Santos
  Com a duração de uma partida de futebol, o filme A Música Segundo Tom Jobim (2012), do Nelson Pereira dos Santos é um primor. Não existe nenhum diálogo ou legendas dos nomes das músicas e dos músicos, são 84 minutos de bo música sem intervalo.

  É um musical com toda a pompa da palavra. Não vou contar sobre esse "musical-filme" pra não estragar a boa surpresa, porém tem uma passagem que vale ser ressaltada como a parte ou interpretação da música mais bonita da película, que é quando Tom e Elis com fones de ouvidos enormes cantam Águas de março, nossa que coisa linda o tom do Tom e a voz da Elis se entrecruzando em uma harmonia que, se existir perfeição, eles conseguiram chegar até ela.

  Vi e agora entendi quem é a grande referência musical e talvez humana do Chico Buarque de Holanda: o grande poetinha, como o Tom o chamava, Vinicius de Moraes, este quando morava em Itapuã fui comer bolo na casa dele com ele quando era moleque. Poesia, a salvadora da existência humana, pois o que Tom Jobim fazia era isso, pura poesia para nossos ouvidos.  

  As Aventuras de TinTim - O Segredo do Licorne (2011) EUA, é uma animação de nada menos que Steven Spielberg que de certa maneira surpreende, não pela qualidade das animações , pois isso já esperava, mas pelo seu roteiro pra adulto pensar.

  Quando pensamos em filmes de animação associamos estes para ao publico infantil geralmente, mas esse não, foi feito pra adulto com um enredo aventural engehoso e culhudeiro, não deixando as cenas a desejar dos missões impossíveis da vida nesse quesito.

  Vi em 3D, e achei que o óculos desconfortável deveria ser engenhosamente mudado para melhorar nosso conforto, não curti o oculozinho, mas curti a animação ou o filme.  
   This is the England
,do Shane Meadows ,2006 , Inglaterra. Este visceral filme mostra o batismo de um menino de um pouco mais de dez anos de idade ao grupo dos Skinheads numa Inglaterra de décadas atrás, onde não só imigrantes não eram bem-vindos, assim como negros oriundos do próprio país pela gangue.

  Uma coisa tem de ser escrita aqui: apesar de todo preconceito deles com outras raças; existia ideais que levavam a isso, que era uma Inglaterra livre do desemprego dos seus habitantes e sua cultura e auto-estima preservados.

   Outro aspecto que tem de ser ressaltado é a lealdade de um para com outro no grupo, e também a ganância do poder pelos seus líderes. This is England, mostra e toca nos melindres da vulgo cidadania inglesa, tentando através do grupo abordado no filme , de como firmar valores próprios em um tempo que a globalização já dava os seus "ares das graças", e eles tentando de alguma forma freá-los.

   Um filme que ao mesmo tempo em que mostra o poder da amizade, porém a incapacidade de dar-se com o diferente.

   W.Bush, do Oliver Stone, 2008. É uma cinebiografia de uma família que governou os EUA durante muitos anos; primeiro com seu pai e depois com seu filho, este abordado pela pelícila onde mostra o filho: um combatente de guerra, bêbado inveterado, brigão temperamental e um esportista de boa qualidade.

   Apesar de todos esses defeitos e essas poucas qualidades, o W. Bush filho mostra-se com uma força inabalável interior entrando na política contra o seu passado e principalmente contra sua família, ao ponto de "chamar pra mão" o ex-presidente e pai, Bush I, tamanha a sua revolta contra ele, onde este valorizava muito mais o seu outro filho do que o temperamental futuro presidente da principal potencia capitalista já desde aquela época.
 
   Contra tudo isso, Bush filho vai galgando sua carreira política como governador e enfim presidente dessa nação, onde na película mostra-se o seu total descontrole em governar um país da envergadura político-econômica dos EUA, apavorando o mundo com a descabida e despropositada guerra no Iraque, por exemplo.

   Por causa do dinheiro investido na guerra, o país sofre um colapso financeiro, quebrando muitos bancos e empresas, desvalorizando sua bolsa de valores e sua moeda, e conseqüentemente causando uma crise financeira mundial, onde na época o nosso presidente Lula falaria que era uma marolinha, e não foi tão pequena assim, tanto é que até hoje as coisas ainda não andam bem, prova disso é a crise financeira estourada na Europa que se perdura até hoje com altos índices de desemprego.

   O Obama tenta dar um jeito no prejuízo que W. Bush filho deu ao seu país e ao mundo, porém isso leva tempo de arrumar, e a China só olhando de soslaio a essa crise toda com seu câmbio flutuante, e refletindo ocultamente: aguardem-me, vamos ver no que dá tudo isso; e o Brasil como país emergente, e com copa e olimpíadas pela frente pode lucrar com isso, ou seja: a indiferença produtiva chinesa e a não crença norte -americana de que será passada pelo mega país oriental como principal potencia mundial em pouco tempo e ainda por cima comunista, pelo menos no sentido político.
 
voltar