ter?a-feira, 23 de abril de 2019
Cultura

'Má interpretação', diz Associação de Baianas sobre festa de Donata

Com informações do Portal A Tarde
Da Redação ,  Salvador | 11/02/2019 às 12:16
Donata e a cadeira de candomblé
Foto: INSTAGRAM
A Associação das Baianas de Acarajé, Mingau, Receptivo e Similares da Bahia (Abam) afirmou nesta segunda-feira, 11, que a repercussão em torno da festa de aniversário da diretora da revista Vogue Brasil, Donata Meirelles, não passou de uma 'má interpretação'. O evento, ocorrido na sexta, 8, e no sábado, 9, causou polêmica entre os internautas, que acusaram a aniversariante de racista.  

Segundo a coordenadora da Abam, Angelimar Trindade, a associação foi contratada para fazer o receptivo da festa. Ela rebate a informação de que as baianas fizeram o papel de escravas. "As cadeiras não estavam representando escravidão, muito menos estávamos sendo submetidas ao papel de escrava. Pensar isso da gente é vergonhoso", diz Angelimar.

Donata foi acusada de racismo nas redes sociais, por fazer uma festa que remetesse à era colonial. A repercursão começou após a diretora da revista publicar uma foto sentada em uma cadeira com mulheres negras em volta.

Angelimar explica ainda que a organização do evento durou mais d eum mês, e que as cadeiras são representações do candomblé, como Donata informou em uma publicação no Instagram.

"Foram quadro cadeiras daquelas espalhadas pelo espaço da festa para as baianas sentarem. Durante a foto, nós que sugerimos que a Donata sentasse na cadeira, no centro de todas. Afinal, a aniversariante é o centro das atenções, né?", explica.