quarta-feira, 12 de dezembro de 2018
Bahia

PADRE CANTOR FÁBIO DE MELO canta Tudo é do Pai na festa de Lauro

Segunda-feira, 15, festa da padroeira em Lauro de Freitas
MC , Lauro | 11/01/2018 às 18:24
Festa do Padroeiro traz Padre Fábio de Melo a Lauro de Freitas
Foto:

Ícone da música religiosa, o padre Fábio de Melo se apresenta nesta segunda-feira, dia 15, às 20h, em Lauro de Freitas, no encerramento das celebrações ao padroeiro Santo Amaro de Ipitanga. No palco armado na lateral da secular igreja, na Praça da Matriz, o padre cantor, compositor, escritor, professor universitário e evangelizador pela arte desfila seus grandes sucessos de louvor, como “Tudo É do Pai”, e revisita os clássicos da MPB “Disparada”, de Geraldo Vandré, e Calix Bento, eternizada na voz de Milton Nascimento.

"Meu público não se limita apenas aos católicos. Temos pessoas de outras religiões e até ateus. O que eu quero verdadeiramente é apresentar Jesus e fazer bem ao coração das pessoas. É por isso que no repertório coloco canções que possam estabelecer pontes", destacou em recente entrevista. A expectativa é de praça lotada de devotos do santo e fãs do padre. Fábio de Melo tem um histórico musical de 20 discos e cinco DVDs. Seus 13 livros publicados já venderam mais de 3 milhões de exemplares.  


MISSA E PROCISSÃO

As homenagens a Santo Amaro de Ipitanga foram iniciadas no dia 6 com novena e quermesse na praça da Matriz. No dia 15, data consagrada ao padroeiro, a festa começa com alvorada às 6h, e missa solene às 9h celebrada pelo bispo auxiliar dom Estevam dos Santos, seguida de carreata até a comunidade do Bom Pastor, em Vida Nova. No final da tarde, às 16h, a imagem retorna em procissão saindo da Igreja de São Pedro, no Joquei Clube, até a Matriz onde será rezada a última missa do dia.

Este ano é comemorado os 410 anos de devoção ao santo em Lauro de Freitas. Santo Amaro (Mauro) Aba de Cupê nasceu em 493 d.C, era o discípulo mais notável de São Bento e filho do senador romano Eqüício e de Júlia. Faleceu em 15 de janeiro de 565 aos 72 anos.

O padre Juraci Gomes destaca a importância da celebração. “A história da cidade aconteceu em torno dessa igreja e da fé a Santo Amaro”, e lembra que a mensagem da celebração é de esperança. A festa do padroeiro faz parte do calendário cultural da cidade e tem o apoio da Prefeitura Municipal.


CORTEJO CULTURAL

Tradição nos festejos católicos, as manifestações populares também rendem homenagem ao santo padroeiro. Este ano, o cortejo cultural será realizado no sábado, dia 13, saindo do final de linha do centro às 9h. As baianas com suas jarras de água de cheiro e vassouras puxam o cortejo, seguidas por 16 grupos que representam a rica cultura de matriz africana da cidade.

O cortejo percorre as ruas do centro até a Matriz onde as baianas lavam as escadarias do templo. Construído no século XVII, a igreja é um dos mais importantes exemplares da arquitetura religiosa no país. Tombado pelo Iphan, em 1944, o conjunto arquitetônico tem como destaques a barra de azulejos que se constitue nos mais extensos e bem conservados silhares encontrados na arquitetura luso-brasileira, e as imagens, em rocca (característica do barroco), de Senhor Morto e Nossa Senhora das Dores.