segunda-feira, 26 de junho de 2017
Bahia

Prefeitura Camaçari retira barracas irregulares da Foz do Rio Jacuipe

Com informações do DECOM PMC
Da Redação , Salvador | 20/04/2017 às 14:00
Praia da Espera tem limpeza da PMC
Foto: DIV
A Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Sedur) de Camaçari realizou a retirada de 23 barracas localizadas na Praia da Espera, em Itacimirim, e na foz do Rio Jacuípe, em Barra do Jacuípe, ambas situadas na orla do município. A ação foi motivada por denúncias da comunidade e dos proprietários das barracas legalizadas das áreas, muito frequentadas por banhistas.
 
Em Barra do Jacuípe, as barracas funcionavam de forma irregular, sem licenciamento e estavam instaladas em área de manguezal, o que ocasionava a degradação do meio ambiente. Já as de Itacimirim foram edificadas em área de praia. A ação foi realizada por agentes de fiscalização da Sedur, que contaram com apoio da 59ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM). O trabalho de remoção do material teve suporte de um caminhão e cinco profissionais da equipe de demolição. O recado da gestão atual de Camaçari para eventuais infratores é que o município agora tem ordem.
 
Jauá - Com cerca 120 mil metros quadrados de superfície, a Lagoa de Jauá, aos poucos, volta a ser um dos cartões postais do município. Isso, graças ao serviço de limpeza iniciado pela Secretaria dos Serviços Públicos (Sesp) em janeiro.
 
Para não agredir o meio ambiente, a retirada de vegetação e algas é feita de forma manual e deve ser concluído até o final de junho. A limpeza, realizada por 20 profissionais e um fiscal, acorre de segunda-feira a sábado.
 
A cada mês são retiradas, aproximadamente, 100 toneladas de algas e entulhos da superfície. A ação é de grande importância, além de tornar o ambiente mais bonito e agradável para moradores, visitantes e veranistas, ela garante a saúde dos peixes, répteis, anfíbios e aves que habitam do local.
 
Os matos e algas, também denominados como “sujeiras verdes”, são causados pela poluição, seja por resíduos domésticos ou esgoto, que por sua vez geram os nutrientes essenciais para a proliferação das algas, que à noite diminuem a quantidade de oxigênio e lançam gás carbônico na água.